Archive for 7 de Maio, 2010

“PING-PONG” DO “BIBINHO” É JOGO ESTRANHO

“Bibinho”, conseguiu sair da prisão com seu segundo  “HC”, porém ficou só 5  horas fora da pisão.  Nova preventiva foi pedida pelo MP, e de novo o “Bibinho” voltou para a gaiola.  O que é estranho para o povão, é esse jogo de “ping-pong” que o Poder Judiciário esta fazendo, na base do “prende-solta-prende-solta-prende”.  Será que este jogo de “ping-pong do prende-solta”, vai continuar ? O TJ/PR vai firmar uma posição DEFINITIVA NESTE CASO ?

O “BIBINHO” SAI OU NÃO SAI DA PRISÃO ?

O povão está tonto e sem entender o que está  acontecendo com o tal “Bibinho” que dizem, é o responsável pelo escândalo dos pagamentos e nomeações fictícias na Assembléia Legislativa do Paraná. Ele foi preso, depois obteve “habeas-corpus”, e depois foi preso novamente, e hoje dizem, deveria ser solto novamente. O povão está tiririca de raiva contra essa situação.  O que está acontecendo com o nosso Poder  Judicário ?  Afinal  que rolo é esse de prende solta ?  Será que o Judiciário não vê que há uma  desesperança velada na população ?  Isto seria comoção social ?  Ou é necessário uma pesquisa de  opinião pública para balizar o Poder Judicário ?

PRIMEIRO DEBATE DOS PRESIDENCIÁVEIS

A campanha para a presidência da República começou de verdade, nesta quinta feira dia 6, em Belo Horizonte (MG) em congresso dos municípios mineiros.  Lá estavam todos eles, a Dilma (PT), O Serra (PSDB) e a Marina (PV), os quais focaram  dois temas dos mais relevantes para o país:  FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS MUNICÍPIOS  E  REFORMA  TRIBUTÁRIA, de cujos temas destacamos as posições da cada um:  FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS MUNICÍPIOS – FPM.   José Serra criticou o fato do Lula “fazer continência com o chapéu alheio”, ou seja baixou o IPI  (imposto de produtos industrializado) para diversos produtos e quase quebrou as prefeituras do país que praticamente vivem desse fundo.  A perda  foi  de R$ 3,5 BILHÔES DE REAIS. Dilma, rebateu Serra alegando que o governo Federal fez uma “compensação” e repassou aos municípios R$ 2  BILHÕES DE REAIS.  Serra replicou, dizendo que ainda faltaram  R$ 1,5 BILHÃO aos municípios.  Lula continua devendo.  Marina, saiu pela tangente pregando ética na governabilidade focando a guerra da CPMF, dizendo que antes  os que eram a favor da CPMF (PSDB no governo do FHC), hoje são contra.  O PT que ontem era contra, hoje é a favor. Já  eu afirmo que ambos os partidos tanto PSDB quanto o PT, realmente  são “aéticos” e oportunistas neste comportamento dúbio de conveniência momentânea do poder.   REFORMA  TRIBUTÁRIA. Ambos, José Serra e  Dilma, se declararam a favor da reforma tributária (nunca ninguém  é contra).   Marina defendeu  a tese do senador Pedo Simon, de que há necessidade de se fazer uma nova eleição constituinte para resolver questões da reforma tributária e outras. 

CRÍTICA.  A maneira mais fácil e talvez consesual de se fazer uma reforma  tributária e política ao mesmo tempo,   É  IMPLANTAR  UM  MODELO  MUNICIPALISTA DE ADMINISTRAÇÃO, ATRAVÉS  DE,   UMA REFORMA  TRIBUTÁRIA  RADICAL,  COM NOVA  REDISTRIBUIÇÃO DOS PERCENTUAIS  DE PARTICIPAÇÃO  NO  BOLO DOS TRIBUTOS  E CONTRIBUIÇÕES  ARRECADADOS NO PAÍS,  Os  municipios que hoje recebem 13 % ficariam com 40 %;  os Estados que hoje recebem 27 % ficariam com 30 %, e a União que hoje fica com 60 %, ficaria com  30 %.   Junto com esta redistribuição dos tributos arrecadados,  e  conforme os valores destinados a cada um dos três poderes,  se fariam as redistribuições de responsabilidade nas diversa áreas, como sejam da segurança pública, da saúde , da educação, etc. nivelando a responsabilidade conforme OS VALORES  DOS  TRIBUTOS ARRECADADOS, com  as  novas obrigações  e transferência das novas responsabilidades.  Com esta reforma se consagraria a política municipalista que todos almejam, descentralizando o excesso de poder político e tributário de Brasília.  Esta proposta certamente teria o apoio maciço da população, dos prefeitos dos deputados estaduais e federais, e o interesse maior da Nação estaria perto do cidadão que poderia melhor fiscalizar seus administradores e políticos eleitos por eles.   SÓ UMA REFORMA  TRIBUTÁRIA  RADICAL PODERÁ SALVAR O PAÍS  DO IMPASSE A QUE SE DIRIGE.