Archive for 6 de Novembro, 2010

ALÔ GOVERNADOR BETO RICHA. HOSPITAL DE TELÊMACO BORBA VAI FECHAR.

Alô gov. Beto Richa, recebi a notícia de que o  HOSPITAL  DR. FEITOSA,  que é o único da cidade de Telêmaco Borba, está previsto para fechar EM JANEIRO de 2011, logo que o Sr.  tomar posse.  Recebi esta notícia direta de dentro do hospital,  logo depois que  direção colocou um aviso no refeitório dos funcionários, comunicando o fechamento.   Motivo do fechamento. O hospital é  particular e pertence  ao médico Dr. Feitosa, e ele não aguenta mais absorver os prejuizos e por isto colocou o hospital a venda, sem sucesso.  O  SUS deve muita grana a este hospital.  Sem dúvida,  será o primeiro  abacaxi  que o gov. Beto Richa vai ter que descascar na área da saúde, logo após a posse.  Então adiante-se governador e já coloque este mico no colo de  sua equipe de transição de governo.

Anúncios

“FÉ EM DEUS E PÉ NA TÁBUA”

“Fé em Deus e Pé na  tábua”, é o título do livro do antropólogo  e escritor   Roberto da Mata, o qual discorreu sobre seu livro em uma entrevista na rádio CBN, hoje.  Da Mata enfoca neste livro o  mau comportamento do brasileiro no trânsito, suas orígens, consequências e soluções para este desastre nacional.  Registrei alguns dados.  Nos Estados Unidos há muito mais veículos do que no Brasil, com menor índice de acidentes.   Ele define o comportamento agressivo no trânsito do brasileiro, com origens na autocracia brasileira, desde o império de D. João VI, quando a imperatriz Carlota Joaquina ao passear com sua carruagem imperial pelas ruas do Rio de Janeiro, o povão era obrigado a parar e se ajoelhar em reverência a “grande”  dama.  Este gesto de vassalagem provocou inclusive um incidente diplomático, quando o embaixador americano se recusou a fazer esta reverência de vassalos tupiniquins.  Até hoje, no Brasil o veículo tem esta preferência sobre o pedestre.  Este é o erro.  Ele defende direitos iguais do veículo e do pedestre.  “Fé em Deus e pé na tábua”,  foi uma frase antiga de parachoque de caminhão  (anos 50), cuja frase já  balizava o comportamento machista de nossos motoristas, cujo costume impera até hoje.

TRIBUTO ELITISTA BURRO E SUBDESENVOLVIDO

” PROTETOR  SOLAR  PARA  OS  POBRES, JÁ  “. Esta  vi  em noticiário da Tv, que focou o assunto câncer de pele e os cuidados que o CIDADÃO   (RICO),  tem que tomar neste verão para evitar esta terrível e assassina doença, o câncer. Durante a reportagem um especilialista nesta área, reclamou que o preço dos protetores solares estão inacessíveis as classes mais pobres, os quais não dispõem de grana extra para pagar um frasco de protetor solar na base de R$ 40,00 a unidade, e por iso são os mais afetados.  Assim, o recado da reportagem não vale para os MAIS POBRES.   Vale SÓ PARA OS MAIS RICOS. Esta é a marca  registrada dos “burrocratas” do Gov. Federal e dos Estaduais, quando hiper taxam em IPI e ICMS os tributos deste produto, considerados de luxo por incrível que pareça, por estes “inteligentes” que sequer desconfiam que ao restringirem o uso de protetor solar  através dos altos tributos, eles concorrem para aumentar a despesa do poder público , entulhando as filas do SUS com os mais POBRES  afetados pelo câncer de pele.   Esta é a marca registrada da prática burra de 500 anos de Brasil, dominado por  essa gente que defende  o ESTADO  MÁXIMO  E ABSOLUTO, mesmo que com prejuízos.  Solução ?  Que este bobos parem de dar tiro no pé, e isentem ou diminuam sensivelmente o IPI e o ICMS  DO PROTETOR SOLAR.