Archive for 23 de Março, 2011

O QUE PENSA O ELEITOR CURITIBANO ?

Dia 16 último, a Gazeta do Povo publicou uma reportagem sobre uma pesquisa feita pela,  Paraná Pesquisa, a respeito do que pensa o eleitor curitibano em relação aos pontos polêmicos  da reforma  da lei eleitoral,   que está  sendo discutida  no Congresso Nacional.

O RESULTADO DA PESQUISA por temas.  VOTO DISTRITAL; a favor 67 %, contra 32 % e não sabe  0,25 %.-  FINANCIAMENTO PÚBLICO DE CAMPANHA; 86 % contra, a favor 19 % e não sabe 1,87%.-  LISTA FECHADA DE CANDIDATOS DO PARTIDO.; contra 79 %, a favor 16 %, não sabe 4,3 %.- VOTO OBRIGATÓRIO; opcional 59 %,  obrigatório 28 %,  indiferente  1,62 %  e não sabe 0,62 %.-  CASO O VOTO NÃO FOSSE OBRIGATORIO, IRIA VOTAR ? sim64%,  NÃO 26 %, depende  9 %  e não sabe 0,12 %.

RESUMO. O curitibano  REJEITA financiamento público de campanha política  e a tal lista fechada de candidatos (do partido político).  Nesta o eleitorexige saber em quem vai votar. Quanto a ao voto obrigatório o condenam, porém a maioria, mesmo assim iria votar.  Por outro lado os curitibanos aceitam o voto distrital, em grande maioria.

ALÔ MIRIAM. FICO C/ NOME “BANCADAR”

NOME PARA A “BANCADA DO RADAR”. Recebi da leitora deste blog, Sra. Miriam, sugestões para batizar com  um carimbo apropriado, A BANCADA DO RADAR  DA CÂMARA MUNICIPAL DE CURITIBA,   cuja “bancada”,  segundo denúncias do jornalista Catani, recebe polpuda gorjeta da  CONSILUX,  para se calarem na Câmara.  Os nomes sugeridos pela Miriam, são muito  sugestivos. Aí vão:  MENSALÃO E  MENSALINHO;   BANCADAR;  BANCADINHA; PINGA PINGA; CONSITIBA e  CORSILUX.

VOTO NO, “BANCADAR”. Miriam, eu voto no nome “bancadar”, pois este neologismo tem duplo sentido.  O de “banca-dar”, uma banca (consilux), dando grana para os vereadores,  e “banca-dar”, de  “banca do radar”, consilux “bancando sua roubalheira no RADAR “.

ABERTO A NOVA SUGESTÕES. Quem quizer pode votar, ou indicar novos nomes para esta nova   “bancada”.

INDÚSTRIA DA MULTA NO RIDÍCULO

ACINTE NO RIDÍCULO. Esta ouvi hoje cedo na rádio CBN de Curitiba. Uma professora de Maringá está “fula” da vida com a empresa que “industrializa as multas de trânsito”  na Região.  Motivo.  Ela tem uma motocicleta  e recebeu uma multa, por estar transitando num município onde ela nunca foi, tampouco conhece,  e PASMEM……..o motivo da multa:  A CONDUTORA NÃO USAVA CINTO DE SEGURANÇA !

INDÚSTRIA DA MULTA ATINGE ÁPICE DA CORRUPÇÃO. Pode ?  Pode sim.  Vivemos hoje no país esta onda de corrupção desenfreada nas empresas que operam os radares  (E OUTROS SETORES, do  LIXO, TRANSPORTE ETC.),  e que multam os motoristas incautos e cordeiros em todo o país, menos os deles.   Esta ação predatória no bolso do cidadão,  sempre é produto de uma ligação entre “empresários-bandidos”  e “políticos-vagabundos”, no estilo conhecido do “Valerioduto”, os quais ficam inventando meios de como roubar o erário público, com aparência de um ato legal, de um ato perfeito.

A  FABRICAÇÃO DA “NECESSIDADE” . Neste caso dos radares, primeiro eles fazem uma campanha de mídia, alegando que têm que baixar os índices de acidentes de trânsito, e vão por aí, até  dramatizando e artificializando estatísticas, para imporem seus projetos e implantam essas arapucas de roubalheira da grana do povão E ENRIQUECEM,  FICAM MILIONÁRIOS e até BIOLIONÁRIOS .

SOCIEDADE  DESPROTEGIDA. ONDE  ESTÁ  O FAMOSO  “GAECO” (PR) ? ONDE ESTÃO OS VEREADORES ? ONDE ESTÃO OS DEPUTADOS ? E A DELEGACIA DE CRIMES CONTRA O PATRIMÔNIO PÚBLICO ?  E OS MINISTÉRIOS PÚBLICOS ESTADUAIS E FEDERAL ? ONDE ESTÃO?  Essa gente aí relacionada tem OBRIGAÇÃO  CONSTITUCIONAL  de cumprir com o seu dever,  e proteger a sociedade contra o crescimento  vertiginoso de novos meios de corrupção que os “políticos-bandidos” , somados com “empresários-bandidos”,   criam e inventam todos os dias, novos e sofisticados sistemas de roubo do dinheiro público.   Afinal estas instituições aí, foram criada para PROTEGER O  CIDADÃO,  E NÃO , PARA PROTEGER OS  CORRUPTOS.   Será que eles vão fazer alguma coisa?  Se nada fizerem, vão para a vala comun do descarte moral da sociedade, junto com todos esses corruptos da “indústria da multas do país”.

EM TEMPO. Vejam como o Estado também está em processo da falência, já que endossa e, é parceiro dos ladrões que nos roubam. Quando a professora foi ao Poder Público, RECLAMAR contra este absurdo,  responderam-lhe :  “VOCÊ VAI TER QUE SE DEFENDER”! Esta resposta nos assusta, pois nos dá a dimensão DA FALÊNCIA  e do atoleiro conivente do Estado, com a corrupção.  Neste caso, o funcionário deveria  indicar um diretor responsável pelo setor, o qual tem pleno direito de ABRIR  UM  INQUÉRITO  ADMINISTRATIVO, PARA APURAR ESTE  RARO  FENÔMENO.