Archive for 2 de Janeiro, 2012

A FEDENTINA CENTENÁRIA NO CENTRO DE CURITIBA

TAPE O NARIZ OU TAPE O BUEIRO DA GALERIA DE ÁGUA PLUVIAL. A foto abaixo  revela  uma triste realidade  da capital Curitiba, quanto ao descaso de anos e anos pela FALTA DE REDE ESGOTAMENTO SANITÁRIO e REFORMA NO SISTEMA.  Os esgotos domésticos de Curitiba continuam sendo ligados nos bueiros ou  galerias de água da chuva, o que provoca uma fedentina terrível, insuportável  no Centro de Curitiba, principalmente no verão.  É de torcer o nariz.

A FOTO DO FATO. A foto abaixo foi tirada em rua no Centro de Curitina , acima da Travessa Oliveira Belo, a 20 metros da Rua das Flores, perto do famoso Bondinho, em frente a uma ótica, cujas moças funcionárias tomaram esta providência de tapar a grade do bueiro, ao invéz de taparem o nariz.  Dizem elas que o cheiro da   M….. espantava  os clientes.  A solução foi esta. Tapa-se o bueiro.  A clientela estranhou….mas voltou.  Na ausência do poder do Estado na solução dos problemas do povão, o povão dá a solução !

“PRIVATARIA TUCANA” III. A GUERRA NOS BASTIDORES DE AÉCIO x SERRA

A GUERRA SURDA AÉCIO x SERRA.  Pelas ligações no setor de informações, já consolidadas   pelo jornalista AMAURY  quando atuava em Brasília,  com agentes  policiais do serviço reservado, ele soube que o então ministro JOSÉ  SERRA, pré-candidato a presidência, teria montado um  serviço reservado de inteligência, cujas ações se voltavam ao objetivo de barrar o também pré-candidato do PSDB AÉCIO NEVES.  

O ENVOLVIMENTO. AMAURY, recebeu do jornal O Estado de Minas a imcumbência  de descobrir de onde vinham as farpas que estavam sendo lançadas contra a imagem pessoal  do AÉCIO NEVES, e  acabou descobrindo que a usinagem das farpas vinham  do esquema reservado do então governador de São Paulo,  JOSÉ  SERRA, CUJOS AGENTES RASTREAVAM  A INTIMIDADE E ROTEIRO  SENTIMENTAL dos caminhos  do governador AÉCIO, tal como transcrevo o relato do AMAURY,  da página 24 :

” O que me pedem (o jornal), é o seguinte: descobrir quais são os arapongas que estariam no encalço do governador de Minas, Aécio Neves, durante seus discretos  roteiros sentimentais pelo Rio de Janeiro.   Segundo o relato, AÉCIO é vigiado e tem seus movimentos seguidos por agentes arregimentados por seu adversário na disputa dentro do PSDB pela pré-candidatura a presidência da República.  O então governador paulista, JOSÉ SERRA, trabalhava nos bastidores para alijar o concorrente mineiro do páreo,  ”

O VALE TUDO. Como declarou um dia o ex-tri-governador e e bi-senador do Paraná,  ROBERTO REQUIÃO:  ”  FEIO ? Em políticia o feio é perder! “.   Esta pérgunta teria saído de algum repórter, tetando saber o que REQUIÃO diria sobre a descoberta da trama que o elegeu governador, na ápoca do famoso  “CASO  FERREIRINHA”.  Uma farsa que derrotou o seu adversário JOSÉ CARLOS MARTINEZ.   É o vale tudo da política, que ocorre em todo o mundo.  Uma frase é aceita por todos os políticos, notadamente os do terceiro mundo:  ” Política não para freiras”. Então dá-lhe,   VALE TUDO.

“PRIVATARIA TUCANA II”

DOIS FATOS MUDAM O RUMO.  Dois fatos ocorridos na vida do jornalista AMAURY RIBEIRO JR, autor do livro  “Privataria Tucana”, levaram-no  a escrever  o livro que mudaria  o rumo de sua vida.

FATO UM. O Amaury trabalhava  em Brasília no jornal “Correio Brasiliense”, e foi designado para investigar o assassinato de 150 jovens nos arredores de Brasília. Acabou sendo baleado pelo nacotráfico que estava implicado no caso, e durante as investigações, fez amizade com  o Idalberto M. de Araujo, agente do serviço de Inteligência da Aeronáutica, que abriu-lhe as portas juntos a investigadores da Polícia (P 2), de Brasilia, pelo que passou a se relacionar com os donos de segredos do poder na “Terra da Fantasia”.

FATO DOIS.  Amaury após baleado, foi  transferido para Belo Horizonte, indo trabalhar no jornal do mesmo grupo, o “Estado de Minas”, e a partir daí, passou para a área política no jornal, sendo encarregado de cobrir a briga surda, interna, dentro do PSDB, entre o governador mineiro AÉCIO NEVES e o paulista JOSÉ SERRA, os quais se degladiavam veladamente pela indicação da candidatura do PSDB Nacional a presidente da República.

INVERSO DA “POLÍTICA DE CAFÉ COM LEITE”.  Tudo ocorreu num processo inverso a histórica “política do café com leite”, que deu certo no passado entre mineiros e paulistas, os quais se alternavam na presidência da República (na base da corrupção eleitoral), até o apeamento do poder do presidente paulista, Washington Luis em 24/10/1930, através do processo  da Revolução de 1930, comandada por Getúlio Vargas.    O jornal mineiro do Amaury,  claro, preferia o governador  AÉCIO.  Esta “briga” entre estes dois caciques tucanos de plumagem lustrosa,  colocou o Amaury no centro das investigações estilo repórter investigativo, cujo resultado é  tema deste livro, PRIVATARIA TUCANA.

O QUE DIZ A LEI SOBRE NAMORO DE ADULTOS COM MENORES

JUIZ DA INFÂNCIA E JUVENTUDE ESCLARECE RELAÇÃO.  O juiz  REINALDO CINTRA TORRES DE CARVALHO, juiz da coordenadoria da Infância e da Juventude do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, deu entrevista para o jornal Folha de São Paulo,  esclarecendo dúvidas sobre este polêmico assunto;  Vejam a publicação da “Folha On Line” de 01/1/12, no site Jus Brasil:

Veja o que diz a lei sobre namoro entre menores de idade e adultos

ENTRE 14 E 17
Com 14, 15, 16 e 17 anos, a lei diz que os(as) adolescentes têm capacidade de consentir com a transa. Portanto, se for consentido, o(a) adolescente pode transar mesmo que o(a) parceiro(a) seja maior de idade

SÓ ELA MENOR DE 14
Até o dia em que completa 14 anos, a adolescente é considerada incapaz de consentir; transar com uma menina dessa idade é considerado estupro com violência presumida, um crime hediondo, mesmo que ela diga que transou porque quis

SÓ ELE MENOR DE 14
Se a transa for com um menino menor de 14 anos (13 anos ou menos), a mulher é acusada de atentado violento ao pudor, outro crime hediondo, mesmo quando ele afirma que quis e consentiu

AMBOS MENORES DE 14
De acordo com a lei, menores de 14 anos não são capazes de consentir com a relação sexual. Se condenados, eles não cumpririam pena na cadeia, e sim medidas sócioeducativas, como internação. Isso porque no Brasil, adolescentes (de 12 a 18 anos) não cometem crimes, mas atos equiparados a crimes, os chamados atos infracionais

PUNIÇÃO AOS PAIS
Pais podem ser condenados se o filho ou a filha transar com um(a) menor de idade? Dependendo do caso, sim. Eles podem ser acusados de omissão ou co-autoria do estupro ou atentado violento ao pudor, se ficar provado que sabiam e não tentaram impedir que o(a) filho(a) transasse com um(a) jovem menor de 14 anos ou com idade entre 14 e 17 anos – nesse último caso, sem consentimento dele(a)

“ANTES TARDE DO QUE NUNCA”. OAB NACIONAL FALOU !

PRESIDENTE DA OAB NACIONAL FINALMENTE SE PRONUNCIOU.  Finalmente, com muita demora, o presidente da OAB Nacional, Dr. OPHIR  CAVALCANTE pronunciou-se em nome dos advogados do país, contra a manobra  de concessões de gratificiações espúrias aos  JUIZES e DESEMBARGADORES  do país, beneficiados que foram com LICENÇA PRÉMIO , CONTANDO TEMPO RETROATIVO (ANSURDO !), NA  ÉPOCA EM QUE EXERCIAM  ADVOCACIA  DE FORMA  PARTICULAR.  Pode ?

QUE DEVOLVAM A GRANA.  A crítica está correta, e o certo seria os DESEMBARGADORES  E MINISTROS DO PODER JUDICIÁRIO DO PAÍS,  DEVOLVEREM A GRANA RECEBIDA DE MODO ANTI-ÉTICO, embora esse “tutú”  tenha sido “legalizado” pelo próprio Pode Judiciário, no velho esquema de decisão em causa própria. Vejam a crítica do Dr. OPHIR, publicada no site Jus Brasil de 30/12/11 :

Presidente nacional da OAB critica benefício dado a desembargadores

O presidente nacional da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Ophir Cavalcante, criticou a concessão de licenças-prêmio a desembargadores por meio da contagem do tempo em que os magistrados trabalharam como advogados, antes de ingressarem no serviço público. Ontem a Folha revelou que 22 desembargadores do Tribunal de Justiça de São Paulo oriundos da advocacia tiveram o benefício concedido por conta do período anterior à magistratura. O próprio TJ já anulou as concessões, após o início de uma inspeção do Conselho Nacional de Justiça no dia 5.

PAÍS DA “CASA GRANDE E SENZALA”.  É por este e outros fatos, que teimo em afirmar que ainda vivemos um sistema social de anti-cidadania, com só duas classes sociais.  OS DA CASA GRANDE GRANDE, que têm o poder e muito dinheiro (um traz o outro), e o populacho, o povão, DA SENZALA, a quem  lhes é dado o “privilégio” de pagar as conta da turma da CASA GRANDE.