Archive for 1 de Outubro, 2013

“TROCA-TROCA” DE PARTIDOS VAI ACABAR….O FISIOLOGISMO CORRE SOLTO……

PROJETO FOI APROVADO NA  CÂMARA.  SÓ FALTA APROVAR NO SENADO.  Um projeto de lei do deputado EDINHO ARAÚJO (PMDB), deverá colocar um ponto final  nesta festança de dança fisiológica do chamado e famoso bailão do “troca-troca” partidário, onde o leilão é grande, a música  é no  ritmo do tilintar dos sinos de caixa registradora , cujo sinos tilintam  anunciando grana farta nas eleições e mesmo fora dela.  A grana jorra à vontade.  

COMO VAI FUNCIONAR O FEIO?  Simples reles mortais. Esta troca-troca que está crescendo como erva daninha contra nossa  frágil democracia tupiniquim, deverá acaba logo que o Senado aprove esta  proposta , vez que esta  lei vai impedir que o político que troque de partido,  LEVE COM ELE A GRANA DO FUNDO PARTIDÁRIO (que é proporcional ao número de deputados federais), e também  E  LEVE TAMBÉM O O TEMPO DE TELEVISÃO do partido a que pertenceu. 

O FILÃO DE OURO NO “TROCA-TROCA”.  O novo partido do PAULINHO DA FORÇA, (Partido Solidariedade) , deverá receber vinte deputados de outros partidos o que significa muita grana e tempo de TV a este novo partido.

A NOVA LEI.  Vejam a detalhes da nova lei, que deverá por um breque nesta festança do “troca-troca”. (Fonte Correio Brasiliense 27/9/13)….

Senado Federal promete votar regras e frear o troca-troca partidário

Senado promete votar, depois de 5 de outubro, projeto que muda as regras da distribuição do Fundo Partidário. Quem deixar uma legenda não vai mais levar a verba

Ana D’Angelo – Correio Braziliense

Publicação: 27/09/2013 06:08 Atualização: 27/09/2013 08:50

Assim que passar o 5 de outubro, prazo final para as novas legendas obterem registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o Senado retomará a discussão do projeto de lei complementar que freia o troca-troca partidário. O líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), assegurou ontem ao Correio que só depois dessa data a proposta entrará na pauta de votação. O texto foi aprovado na Câmara e falta apenas a análise dos senadores.

A proposta, de autoria do deputado Edinho Araújo (PMDB-SP), impede parlamentares de levar parte do Fundo Partidário e do tempo de propaganda eleitoral no rádio e na tevê ao mudar de legenda. Hoje, a distribuição da reserva financeira e da propaganda é feita de forma proporcional ao tamanho das bancadas.

Anúncios