Archive for 12 de Dezembro, 2014

PARTIDO PROGRESSISTA (PP) ATOLADO NA CORRUPÇÃO DA “LAVA JATO”….JOSÉ JANENE COMANDOU……….

Doleiro YOUSSEF  revela detalhes das operações……Políicos do PP poderão serão denunciados….

Delúbio Soares José Janene (foto terra notícias).Comida especialPaulo Roberto Costa (foto Veja).

JOSÉ JANENE  DEPUTADO FEDERAL DO PP DE LONDRINA  (FALECIDO),  CRIOU A TECNOLOGIA DA CORRUPÇÃO SOFISTICADA.  A denúncia saltou das investigações da “operação lava jato” para a mídia no país,  nesta quinta feira, e surge como uma bomba a mais nesta mega corrupção ocorrida na Petrobras, que pode ainda pegar MAIS  POLÍTICOS por aí, já classificada como uma das maiores do mundo.  A reportagem é do “estadão”, e pode revelar os nomes de outros políticos que se envolveram nesta mega corrupção, os quais ainda estão protegidos pelo tal de “privilégio de foro”, por  exercerem cargos políticos como  senadores ou deputados federais, os quais serão denunciados e ou julgados exclusivamente pelo STF (Supremo).  A divulgação é do jornal “estadão” de onde destacamos os pontos:

– YOUSSEF, revelou que a tecnologia da operações foi desenvolvida pelo deputado do PP JOSÉ JANENE  EM 2004, QUANDO ELE INDICOU O GRANDE DELATOR  PAULO ROBERTO COSTA,  COMO DIRETOR na Petrobras, e quando  que resolveu concentrar os atos de corrupção numa só   DIRETOR, ao invés de envolver mais  operadores, cujo modelo foi  “bolado”  pelo JANENE  e foi seguido pelos gurus do  PMDB e pelo PT como tecnologia segura de corrupção.

– “Só sobram dois” do PP nesta delação do YOUSSEF, quando se referiu nas delações de políticos no esquema quando voltou a delatar  INTEGRANTES DO PP………Os nomes dos políticos ESTÃO SENDO PROTEGIDOS PELA DELAÇÃO PREMIADA, mas poderão no futuro vir à tona deste poço profundo de lama corrupta.

___________________________________________________________________-

MATÉRIAS RELACIONADAS COM ESTES FATO.  Para melhor esclarecimento, damos abaixo informações de conexões  com este fato …….

-Coluna do  Ricardo Setti:

José Janene

01/12/2014

às 18:45 \ Política & Cia

Quase todo o PP está ligado ao petrolão, indica Youssef

Crime perfeito: em depoimentos à Polícia Federal e ao Ministério Público, o doleiro Alberto Youssef relatou que as “doações legais” das empreiteiras foram a fórmula criada para esconder a propina (Foto: BG PRESS/VEJA)

Em depoimento, doleiro afirmou que “só sobram dois”, em referência à participação de integrantes da legenda no esquema de corrupção na Petrobras

De VEJA.com

O doleiro Alberto Youssef afirmou a investigadores da Operação Lava Jato que “só sobram dois no PP”, em referência ao envolvimento de políticos do partido no esquema de corrupção na Petrobras.

Youssef voltou a citar integrantes da sigla em delação premiada aos procuradores da força-tarefa que apura crimes relacionados a negócios da estatal. O doleiro é o principal acusado de lavar dinheiro desviado de contratos superfaturados da Petrobras para a legenda.

Em VEJA desta semana: A água está chegando ao pescoço

O PP tem papel de protagonista no escândalo, segundo a investigação. A força-tarefa da Lava Jato acredita que os desvios na petrolífera ocorrem há pelos menos quinze anos. Mas foi o ex-deputado José Janene (PP-PR), réu no processo do mensalão morto em 2010, quem organizou a corrupção na estatal, fazendo com que as cúpulas das siglas envolvidas fossem beneficiadas diretamente.

Nas palavras de um investigador, “Janene transformou a corrupção no varejo em esquema de organização partidária”. O modelo que ele teria criado consistia em concentrar a negociação e o pagamento de propinas num diretor, e não mais em vários agentes públicos dentro da estatal…………..

– Último Segundo – Política :

Em Brasília Meiri Poza, contadora do doleiro YOUSSE  que entregou tudo ao juiz  federal SERGIO MORO.  Quando ameaçada de morte (por telefone), mandou o “emissário”…tomar no c…….

Em diálogo interceptado pela Polícia Federal, Meire Poza revela relações íntimas entre o doleiro Alberto Youssef e o ex-líder do PP e ex-réu do mensalão, morto em 2010

Diálogo interceptado pela Polícia Federal (PF) entre Meire Poza e mais dois advogados, em um shopping de São Paulo, descreve relações íntimas entre o doleiro Alberto Youssef e o ex-líder do PP e ex-réu do mensalão José Janene, que faleceu em 2010. Os diálogos sugerem que Janene era sócio de Youssef na GFD Investimentos, empresa de fachada utilizada para o pagamento de propinas da Petrobras ao doleiro e ao ex-diretor de refino e abastecimento da companhia Paulo Roberto Costa.

Durante depoimento prestado no início deste mês à Justiça do Paraná, Youssef confirmou que mantinha uma conta conjunta com o ex-réu do mensalão. O ex-parlamentar era o responsável pelo repasse de dinheiro a políticos já na época do escândalo que resultou na prisão de dirigentes do PT, como o ex-ministro chefe da Casa Civil José Dirceu. Youssef afirmou na ocasião que esse dinheiro vinha de empreiteiras. “Tudo o que o seu Janene precisava de recursos ele pedia a mim e eu disponibilizava”, disse Youssef no depoimento.

Segundo Meire Poza, a GFD Investimentos foi montada originalmente para “trazer todo o dinheiro do Janene de fora pro país, regularizar o patrimônio”. A GFD, conforme Meire Poza, foi criada após a primeira prisão e primeira delação premiada do doleiro, em 2003, durante o escândalo do Banestado (caso de envio de remessas ilegais de recursos do Banco do Paraná. Pelo esquema, cerca de U$$ 19 bilhões foram enviados ilegalmente para o exterior). “Ele fez a delação, só que ele continuou operando pelo Janene. Daí, eles montaram a GFD. A GFD era para trazer todo o dinheiro do Janene de fora pro país, regularizar o patrimônio”, disse Poza nesta conversa com dois advogados.

Durante a conversa, Poza sugere que Youssef foi um dos principais beneficiados com a morte de Janene, ao “herdar” o espólio da GFD Investimentos. “Puta herança. Caiu no colo dele. Eu acho que o Beto acendeu a vela ao contrário. Acendeu a vela para o Janene morrer”, disse Meire. “O Enivaldo (Enivaldo Quadrado, também ex-réu do mensalão e que mantinha contatos com Youssef) fala, né, que o Beto foi o único cara que saiu do velório rindo. Todo mundo chorando e o Beto dando risada”, disse Meire. “O Beto não é amigo de ninguém, Doutor. O Beto não á parceiro de ninguém”, acrescentou mais adiante a ex-contadora do doleiro.

Investigações da Polícia Federal apontam que após ter herdado o espólio da GFD Investimentos, Youssef “sofisticou” a utilização da empresa para a obtenção de propina de obras da Petrobras. Se antes, a empresa tinha como principal função supostamente legalizar a entrada de dinheiro no Brasil, com Youssef, ela passou, segundo os investigadores, a efetuar contratos fraudulentos com as nove empreiteiras que mantinham contratos com a Petrobras…………………………………………………

Anúncios