O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silvachorou ao chegar ao Palácio do Planalto, em Brasília. Ele chegou à sede do governo federal na manhã desta quinta-feira, 12, de onde assistiu o pronunciamento oficial da agora presidente afastada Dilma Rousseff. Horas antes, o Senado Federal votou pelo afastamento. 55 Congressistas foram a favor e 22 foram contra à saída (ainda temporária) da petista no poder. Começa agora a investigação do processo de impedimento em si. Dilma ainda pode voltar ao governo, caso na votação final menos de 54 Senadores votem pela sua deposição. Se o número for igual o maior que 54, ela perde o cargo, o foro privilegiado e fica inelegível por oito anos. 

Lula escolheu azul para esse momento histórico, evitando a cor do seu próprio partido, o PT. Nem mesmo a presidente quis usar a cor do Partido dos Trabalhadores. Durante todo o tempo em que a presidente afastava discursava, o maior nome do PT suava muito, aparecia nervoso e fazendo caras de quem não estava ali. Ao sair do palco e seguir para um restaurante, o ex-presidente disse uma frase em tom de desabafo: “agora eu vou para casa”. Chamou a atenção também o fato do petista não ter feito qualquer discurso. Ele também diminuiu o número de acenos e cumprimentos.

 

Nos bastidores, avaliou-se que o número de manifestantes que foram ao Palácio do Planalto ver a despedida de Dilma para o afastamento foi muito pequena. Na quarta-feira, 11, o Senador Lindbergh Farias, eleito pelo Rio de Janeiro,  disse que a expectativa era para que 10 mil pessoas estivessem na região. No entanto, de acordo com a polícia militar do Distrito Federal, apenas 3 mil foram até lá. O número pequeno ficou ainda mais evidente com o grande atraso que teve a cerimônia. Previsto para às 10h, o pronunciamento de Dilma aconteceu quase ao meio dia. Durante horas, TVs, rádios e internet já noticiavam que ela falaria para o grupo de manifestantes que a apoiam.

Apesar de um grupo menor, Dilma fez questão de dar atenção a todos, abraçando e tirando muitas selfies.