As Forças Armadas da Venezuela concluíram neste sábado dois dias de exercícios militares “Independência II 2016”, insistindo no treinamento de civis para garantir a ordem interna e a defesa do país, em meio ao estado de exceção decretado pelo presidente Nicolás Maduro.

Os militares se mobilizaram em sete dos principais estados do país, situados na zona norte costeira. Lá, foram realizados testes de defesa diante do suposto desembarque de tropas inimigas e de ataques a instalações de distribuição do sistema elétrico.

O governo anunciou ter mobilizado 520.000 combatentes entre tropas militares e milícias civis treinadas.

Na tarde deste sábado, Maduro garantiu que as forças militares estão prontas “para processos internos de comoção, de desestabilização”, ressaltando que, “para isso, estão as Redis e Zodis”, distritos de operações militares em todo o país.

As milícias tiveram participação ativa no manejo e disparo de unidades de defesa antiaérea lança-foguetes, segundo imagens exibidas pelo canal de televisão estatal VTV.

Também foram treinados estudantes universitários armados com fuzis, a maioria com até 25 anos, em matas nos arredores de Caracas.

Sobre a participação dos civis como milícia, o ministro da Defesa e chefe do Comando Estratégico Operacional, Vladimir Padrino, garantiu que “o povo também está participando do que chamamos de órgãos de direção de defesa integral”, para se envolver em “tarefas de luta não armada”…………………………..