Em manchete de primeira página, o jornal Folha de S. Paulo apresenta dados que reforçam a necessidade de um regime único para a Previdência Social, em razão das graves distorções verificadas no atual modelo de regimes diferenciados para trabalhadores da iniciativa privada, servidores públicos e aposentados. Projeções da Consultoria de Orçamento da Câmara Federal mostram que um servidor público da União que se aposentar neste ano, aos 60 anos de idade, e com expectativa de viver até os 80 anos, custará R$ 3,34 milhões para os cofres do governo. Esse é o valor médio, por servidor, que será  desembolsado pela União para garantir o pagamento das aposentadorias ao funcionalismo.

Se o servidor for um militar, o montante é ainda maior: R$ 4,52 milhões.

Já um trabalhador da iniciativa privada que se aposentar este ano, com expectativa de mais 20 anos de vida, custará, em média, R$ 1,1 milhão aos cofres públicos. A Folha assinala que as diferenças se dão em razão dos “desequilíbrios históricos dos regimes de Previdência no Brasil, que têm distorções e beneficiam grupos específicos”.