Archive for 4 de Dezembro, 2016

ONDE PODEM PEGAR O RENAN E O JADER BARBALHO NA LAVA JATO ? ….. LÁ SE FORAM MAIS R$ 12 MIHÕES ?

PROPINODUTO “BRASILIS” NA BASE DA SENHA.  É mesmo uma vergonha total, regada a UM CINISMO COM DOSE MAIOR DE ESCÁRNIO ARROGANTE INSUPORTÁVEL….É  assim que os pulhas do Congresso Nacional agem….Pressão popular ? Projeto de iniciativa popular com DOIS MILHÕES DE ASSINATURAS ? Respeito ao cidadão ? Compromisso com a Nação ?  

Nada disso vale para os ladrões e pulhas que comandam o Congresso Nacional….Eles riem na nossa cara e nos desafiam….ACINTOSAMENTE.  Este malandros em verdade estão riquíssimos as custas do SUOR DO POVO e pior…… MATAM o processo democrático.  Eles tomaram os cofres da  Nação DE ASSALTO,  PARA ELES, SUAS MULHERES, FILHOS, AMIGOS  E AMANTES….

Triste Brasil…..Vejam as senhas do esquema DOS MILHÕES para o RENAN e para o  gajo do BARBALHO…..(Rf.site Brasil Verde Amarelo)….

O PRESIDENTE DO SENADO FEDERAL DO BRASIL RECEBIA PROPINA VIA SENHA “LUA”. CHEGA, RENAN!

O depoimento sigiloso do empresário e advogado Felipe Rocha Parente, prestado à Procuradoria-Geral da República foi acessado pela Revista Veja. Ele se apresentou como o entregador de propinas oriundas da Transpetro a peemedebistas. E se comprometeu a dar a sua lista de clientes.

Segundo a sua confissão, o mais graúdo era mesmo Renan. A subsidiária da Petrobras era presidida por Sérgio Machado, que já fez sua delação. Segundo a apuração do Ministério Público, em dez anos, saíram de lá mais de R$ 100 milhões em propinas — o atual presidente do Senado teria ficado com R$ 32 milhões.

 

Parente diz que começou a sua vida de entregador de roubalheira em 2004, a convite de Machado. A sua primeira operação foi com a construtora Queiroz Galvão. Ele se encontrou com o dono da empresa, Ildelfonso Colares, e disse a senha: “Lua”. Eis que se materializaram à sua frente R$ 250 mil. E assim se deu ao longo dos anos.

 

Segundo Parente, quando ele entregava propina destinada a Renan, quem aparecida para receber era Iara Jonas, antiga funcionária do Senado, que também fazia tal serviço para outro senador, Jáder Barbalho (PMDB-PA), em cujo gabinete estava lotada.

Parente diz também ter-se reunido com Ricardo Pessoa, da UTC, com quem acertou pagamento de R$ 1 milhão em quatro parcelas. Sim, Renan e Jáder teriam ficado com parte dessa grana. Os senadores negam tudo.

______________________________________________________________

Propineiro do PMDB decide falar, e Lava Jato chega a Renan

Felipe Parente, o homem da mala, fez acordo de delação para contar como levava dinheiro da Transpetro a Renan Calheiros e outros caciques peemedebistas

 

Em sua caçada montante, a Operação Lava-Jato nunca esteve tão perto de capturar o terceiro homem na linha de sucessão da República: o senador Renan Calheiros, do PMDB de Alagoas, que preside o Senado Federal. VEJA teve acesso a um despacho sigiloso do ministro Teori Zavascki, cuja leitura traz quatro revelações:

• O homem da mala do PMDB, o empresário e advogado Felipe Rocha Parente, fez um acordo de delação premiada e apresentou cinco anexos, como são chamados os itens que compõem a lista do que o delator pretende detalhar.

 

• Em um dos cinco anexos, Parente conta que entregava propinas para a cúpula do PMDB. Eram fruto de dinheiro desviado da Transpetro, subsidiária da Petrobras.

• Entre os beneficiários das propinas saídas da Transpetro, estão Renan Calheiros e seu colega de Senado Jader Barbalho, do PMDB do Pará.

• O anexo de Parente ainda precisa ser comprovado no curso da delação, mas já foi confirmado por pelo menos três delatores.

As revelações do despacho de Teori jogam luz sobre um dos momentos mais barulhentos da Lava-Jato, ocorrido entre maio e junho passado.

_______________________________________________________________

MAIS INFORMAÇÕES SOBRE A ROUBALHEIRA……(Ref. Veja.com).

Intermediário em esquema delatado por Sérgio Machado é réu no Ceará

Sergio Lima – 25.fev.2003/Folhapress  
Senador Renan Calheiros, presidente do PMDB, deputado Michel Temer, Sergio Machado e o deputado Jader Barbalho, no plenario da camara federal. Brasilia, 25.02. 2003 Foto : Bruno Stuckert/ Folha imagem.
Renan Calheiros, Michel Temer, Sérgio Machado e Jader Barbalho, na Câmara, em 2003

RUBENS VALENTE
DE BRASÍLIA

19/06/2016  02h00

Compartilhar
 

Apontado pelo delator Sérgio Machado como o responsável, sob seu comando, por pegar propina em empresas e entregar a caciques do PMDB, como os senadores Renan Calheiros (AL), Romero Jucá (RR) e o ex-presidente José Sarney, Felipe Rocha Parente é acusado de ser o pivô de uma fraude de pelo menos R$ 12,3 milhões contra o BNB (Banco do Nordeste).

Parente tornou-se uma das figuras-chave na delação de Machado, ex-presidente da Transpetro, porque poderá confirmar ou negar os pagamentos em espécie a políticos que, segundo o delator, ocorreram entre 2004 e 2007 –depois Machado mudou o sistema de pagamento, que teria se estendido até 2014……………………………………………………

Anúncios