Archive for Janeiro, 2017

OS RUSSOS E SUAS CONTRADIÇÕES….BATER NA MULHER E NOS FILHOS ….É VÁLIDO

DUVIDEI DA SERIEDADE DA MATÉRIA DO  TÍTULO DESTE, MAS APÓS…..LER….ACREDITEI….A publicação da Gazeta do Povo jornal de Curitiba de credibilidade….lá vai….

 

Caixa Zero

Enviado por Rogerio Waldrigues Galindo, 26/01/17 4:53:07 PM

Rússia vota lei que permite bater na mulher e nos filhos uma vez por ano

O Congresso russo votou nesta semana uma lei que descriminaliza agressões domésticas. Pelo texto, quem bater na mulher ou nos filhos não será responsabilizado, a não ser que cause traumatismo sério ou que a violência seja repetida.

 

 

Segundo a revista britânica Economist, o motivo da decisão da Duma (equivalente à Câmara dos Deputados) é que é preciso respeitar a tradição do povo russo. A lei russa previa penas especiais para quem agredisse a esposa ou os filhos – como em outros países, levava-se em consideração que eram pessoas em situação de fragilidade que muitas vezes não tinham como reagir nem escapar da violência.

 

Os conservadores achavam a lei um absurdo por supostamente fazer com que o pai fosse punido mais duramente por bater no filho do que se o vizinho batesse na mesma criança. A Economist diz ainda que a Igreja Ortodoxa teria se oposto à lei, por achar que o direito a usar de violência contra familiares, desde que fosse de maneira “amorosa e razoável”, com boa intenção, era defendido pela própria Escritura.

 

O resultado da nova lei é que os homens russos, em respeito à tradição, poderão bater nos seus parentes mais próximos desde que não repitam sempre isso – mais especificamente, a agressão poderá ocorrer uma vez por ano.

 

Além disso, a agressão voltará a ter de ser denunciada pela própria vítima – e não mais pela polícia ou pelo Ministério Público, como acontece em outros países e acontecia na Rússia antes dessa nova onda conservadora.

EDUARDO PAES EX-PREFEITO DO RIO DE JANEIRO ….É UM SÃO FRANCISCO DE ASSIS …AO CONTRÁRIO?

EDUARDO PAES, foi prefeito do Rio de Janeiro, cuja prefeitura hoje está no caos e na falência.  Quando prefeito, PAES teve o apoio irrestrito da dupla LULA  / DILMA (PT), em troca de fartos votos, cuja dupla  fez  bilhões de reais jorrarem como chuva forte  no Rio de Janeiro, desde os Jogos Pan Americanos, a Copa do Mundo até as Olimpíadas Mundiais…….Foi a fase da festança, do dinheiro fácil, da corrupção em cascata….Ao deixar a Prefeitura do Rio, PAES prometeu que iria levar uma vida de paupérrimo no estilo de São Francisco de Assis…..É parece que está levando uma vida inversa a do santo referência dos católicos de pés no chão….Vejam onde está o PAES….. Mais parece um São Francisco de Assis….AO CONTRÁRIO…..

EDUARDO PAES MATRICULA FILHOS EM NY, POR 10 MIL REAIS POR MÊS, E VAI MORAR NOS EUA

O ex-prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, matriculou seus filhos no sexto colégio mais caro do mundo,que fica nos Estados Unidos da América, cuja mensalidade chega a R$ 10 mil por mês. Paes alegou no ano passado que após sair da prefeitura do Rio de Janeiro levaria uma vida franciscana, referindo-se a Francisco de Assis que foi pobre por opção.

Eduardo Paes matriculou os filhos no Avenues, colégio badalado (e caro) de Nova York. As crianças vão cruzar no pátio com Suri, filha de Tom Cruise e da bela Katie Holmes.

O que deixa qualquer um intrigado é saber como a renda de um prefeito do Rio de Janeiro consegue bancar tamanha despesa a ponto de sustentar matrículas de duas crianças numa escola onde os atores de Hollywood colocam seus filhos.

Paes saiu da prefeitura, após ser derrotado por Marcela Crivella, mudou-se para Nova Iorque onde reside, atualmente, em Bronxville. Uma região considerada de classe média para os padrões de vida americano.

No Rio de Janeiro a situação financeira da Prefeitura é caótica. Os professores estão em greve por falta de pagamentos. Na área de saúde

MISTÉRIO MISTERIOSO NA MORTE DO MINISTRO TEORI ZAVASCKI DO STF…..

A PUBLICAÇÃO  É DO SITE – JUNTOS PELO BRASIL -, o qual especula  sobre o “por quê”, da não inclusão das duas mulheres na lista de passageiros, as quais  também morreram no acidente do avião, cujo avião transportava    o ministro do STF TEORI  ZAVASCKI do STF.  O detalhe de se fazer a lista de passageiros  é obrigatório de lei  quando o piloto apresenta o plano de voo.  Esta falha está levando a imprensa a fazer especulações das mais diversas….Vejam esta….

 

POR QUE OS NOMES DAS DUAS MULHERES NÃO ESTAVAM NA LISTA DE PASSAGEIROS?

Outro grande mistério que precisa ser desvendado no acidente aéreo que matou o ministro Teori Zavascki, relator da operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, ontem, nas águas de Paraty, não é político, mas humano. Diz respeito à identificação das duas mulheres que estavam na aeronave e que também morreram. O corpo de uma foi achado e está no IML, junto com os corpos do ministro e do empresário Carlos Alberto Filgueiras, mas ainda está sem identidade.

 

As duas mulheres não aparecem relacionadas na lista dos passageiros, o que, também, além de estranho, é crime. A Aeronáutica tem regras para voos de carreira e domésticos. Ambos exigem que sejam feitas as identificações dos seus respectivos passageiros.

 

Mas as duas mulheres não aparecem na lista. Quem burlou a lei? E por que seus nomes foram omitidos? Eis o grande mistério! Nos bastidores, correm as versões de que o empresário estava com problemas na coluna e havia levado uma massagista para sessões no hotel em que ficaria hospedado em Paraty e que a segunda mulher seria a mãe da massagista. Se isso fosse verdade, a própria família da massagista já teria tornado público o seu drama, o que até agora não ocorreu.

 

Teori é viúvo, a namorada não estava a bordo e foi localizada ontem mesmo, dando um depoimento evasivo, aflita, sem condições de falar. No avião só estavam quatro passageiros e o comandante, operando o voo sem copiloto. Se haviam dois homens e duas mulheres, a princípio dá ideia de dois casais, e isso precisa ser urgentemente explicado, até porque a viagem era de relax, de lazer, para um fim de semana num paraíso litorâneo.

GOVERNADOR CABRAL (PMDB) MEGA CORRUPTO PARCEIRO POLÍTICO DA DUPLA LULA / DILMA (PT)…. GARFOU 100 MILHÕES DE DÓLARES.

Cabral enviou 100 milhões de dólares ao exterior, dizem delatores

Dinheiro foi depositado em contas bancárias de terceiros em Nova York, Genebra, Bahamas, Luxemburgo, Uruguai e Andorra; PF diz que já repatriou maior parte

governador-sergio-cabral-e-o-mais-atacado-nos-protestos-do-rio-de-janeiro-original1

O ex-governador Sérgio Cabral (PMDB)

As investigações que resultaram na segunda fase da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro, batizada de Operação Eficiência, deflagrada nesta quinta-feira, teve início com base nas delações premiadas de dois operadores do mercado financeiro: Renato Hasson Chebar e seu irmão Marcelo Hasson Chebar. Ambos delataram que o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) enviou ao exterior 100 milhões de dólares – cerca de 340 milhões de reais.

 

Desse total, 78 milhões de dólares foram exclusivamente para Cabral, com o dinheiro sendo usado para financiar todos os gastos do ex-governador e da sua família. O restante teria sido dividido entre os operadores do peemedebista Wilson Carlos (15 milhões) e Carlos Miranda (7 milhões).

 

Segundo delatores que procuraram espontaneamente o Ministério Público Federal (MPF) após a deflagração da Operação Calicute, que levou Cabral à prisão, o ex-governador enviou os valores ao exterior por meio de contas em nomes de terceiros. O MPF afirma que já conseguiu repatriar cerca de 270 milhões de reais. Para o juiz Marcelo da Costa Bretas, da 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro, “as cifras são indubitavelmente astronômicas”.

Veja também

Em depoimento minucioso ao MPF, o delator Renato Chebar esclareceu como teria iniciado a prática de envio constante de altos valores por Cabral para o exterior. Segundo ele, o ex-governador perguntou se ele poderia receber os valores que possuía em sua conta de nome “Eficiência” e o colaborador concordou – o dinheiro foi então transferido para duas contas em nome de Chebar em Nova York (“Siver Fleet” e “Alpine Grey”).

Segundo ele, valores que variavam de 50.000  a 250.000 reais oriundos de propinas eram levados mensalmente em uma mochila para que fossem realizados os depósitos. Chebar destaca que “de três a quatro vezes por ano, se reunia com Cabral, na casa do peemedebista, para prestar contas dos valores que estavam em seu nome”.

Já Marcelo Hasson Chebar, irmão de Renato, informou aos procuradores que, a partir de 2007, os valores “aumentaram significativamente” e que Carlos Miranda, um dos operadores de Cabral, fazia o controle dos valores por meio de planilhas. O MPF destaca que, além das contas bancárias “Silver Fleet” e “Alpine Grey”, os recursos foram destinados a outros paraísos fiscais em Genebra, Bahamas, Luxemburgo, Uruguai e Andorra.

TRAMOIA DE PROPINAS DE EMPREITEIRAS ENVOLVERAM GOVERNO DE PERNAMBUCO. AVIÃO ONDE MORREU EDUARDO CAMPOS (PSB)…DIZ DELATOR JOÃO LYRA….

Brasil mergulhado na podridão governista. 

A NOTÍCIA É DA VEJA.COM.  João Lyra era proprietário do jatinho em que morreu o EDUARDO CAMPOS na cidade de Santos num pavoroso acidente, quando  então era candidato a presidente da República.  Após suspeitas de sabotagem no avião, o Ministério Público passou a investigar quem seria o proprietário do jatinho, e chegou finalmente ao lobista JOÃO LYRA, que nada mais fazia do que intermediar propinas para políticos e empreiteiras no país, incluindo-se aí propinas,  conforme consta nesta reportagem abaixo….Vejam mais este escândalo ” propinesco post mortem”……  

Eduardo Campos é enterrado sob gritos de

Eduardo Campos é enterrado sob gritos de “guerreiro do povo” (foto Carta Capital).

(REUTERS/Paulo Whitaker) -Foto acidente – revista Exame –

Dono de jato de Eduardo Campos fecha delação premiada

João Lyra deverá prestar depoimento na próxima semana. Além dos fatos envolvendo o avião, o empresário deve falar sobre pagamentos de propina a políticos

“Apontado pela Polícia Federal como responsável por entregar propina de empreiteiras ao ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) – morto em um acidente de avião, em agosto de 2014 –, o empresário João Carlos Lyra Pessoa de Melo Filho, conhecido como João Lyra, assinou acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF) no âmbito da Operação Turbulência. Lyra se apresentou formalmente como o único comprador do avião que caiu em Santos, no litoral de São Paulo.

O acordo ainda precisa ser homologado pela Justiça e João Lyra deve prestar depoimento nas próximas semanas. Além dele, também optaram pela delação Eduardo Freire Bezerra Leite e Apolo Santana Vieira. Os três empresários pernambucanos foram alvo da Turbulência, responsável por investigar o arrendamento da aeronave Cessna Citation PR-AFA que caiu em Santos e vitimou o então candidato à presidência Eduardo Campos.

Além dos fatos envolvendo o avião, João Lyra negociou com os investigadores o detalhamento de todas as transações financeiras realizadas por seu grupo cujos valores são oriundos de superfaturamento de obras públicas e de esquemas envolvendo empreiteiras e o governo de Pernambuco.

Para chegar aos verdadeiros proprietários do jatinho, os investigadores identificaram empresas de fachada supostamente utilizadas para lavar e escoar dinheiro oriundo de obras públicas para campanhas políticas. Foram investigados repasses da Camargo Corrêa e da OAS que teriam origem em desvios praticados em obras da Petrobras em Pernambuco e na transposição do Rio de São Francisco. Parte das informações foi compartilhada com a força-tarefa da Operação Lava Jato.

Na denúncia oferecida pelo MPF contra dezoito pessoas envolvidas no caso, o MPF apontou que os três empresários lideravam o grupo criminoso que lucrava com “a prática de agiotagem”, lavagem de dinheiro proveniente de superfaturamento de obras públicas e pagamento de propina para agentes públicos. Apesar de a primeira denúncia ter sido arquivada, a investigação continua e deve dar origem a novas denúncias.

À época da deflagração da Turbulência, o PSB, do qual Campos era presidente, reiterou a sua confiança na “conduta sempre íntegra do ex-governador” e “o apoio incondicional ao trabalho de investigação da Polícia Federal e do Ministério Público, esperando que resulte no pleno esclarecimento dos fatos”. A Camargo Corrêa afirmou que a empresa foi a primeira a colaborar e que segue à disposição da Justiça.

(Com Estadão Conteúdo)”

EXPLICADO O “PORQUE” DILMA MANDOU RETIRAR AS CÂMERAS DE FILMAGEM DO ALVORADA….A HONESTÍSSIMA LINA VIEIRA….FOI A CULPADA….

“Augusto Nunes denuncia jogada suja nos governos  Lula  / Dilma do PT “

 

DILMA (PRESIDENTE) DO PT MANDOU ANULAR PROVAS DO DEPOIMENTO DA HONESTA EX DIRETORA DA CEF…..O episódio da demissão da Secretária da Receita Federal, a qual em conversa com a presidente DILMA recusou-se a a prática de ato ilegal a favor do malandrão do senador JOSÉ SARNEI…….. 

O motivo do sumiço das câmeras do Planalto tem nome: Lina Vieira

A entrevista do general Etchegoyen informa que o governo lulopetista ocultou provas e obstruiu a Justiça 

As incontáveis abjeções produzidas pela usina fora-da-lei que funcionou no Planalto por mais de 13 anos não cabem no noticiário jornalístico, tampouco na memória dos brasileiros. O escândalo da vez não fica na vitrine mais que algumas horas. É muita bandalheira para pouco espaço. É muita pauta para pouco repórter. É delinquência demais para um país só.

É tanta obscenidade que, nesta segunda década do século 20, o que houve na primeira parece anterior ao Segundo Testamento. Isso ajuda a explicar a curta escala nas manchetes feitas pelo sumiço das câmeras de vigilância do Planalto, assombro divulgado em entrevista a VEJA pelo general Sérgio Etchegoyen, chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República.

 

A remoção dos aparelhos ocorreu no segundo semestre de 2009, informou Etchegoyen. Se tivesse consultado os jornais da época, teria descoberto que o motivo da remoção dos aparelhos teve (e tem) nome e sobrenome: Lina Vieira, secretária da Receita Federal afastada do cargo em agosto daquele ano. Entre a história protagonizada por ela e a entrevista do chefe do GSI passaram-se apenas sete anos ─ e no entanto o resgate do caso parece coisa de arqueologista.

Aos fatos. Em 9 de agosto de 2009, numa entrevista à Folha, Lina Vieira fez revelações que escancaram a causa da sua substituição. Fora demitida por honestidade.

 

Estava marcada para morrer desde o fim de 2008, quando fez de conta que não entendeu a ordem transmitida por Dilma Rousseff, então chefe da Casa Civil, numa reunião clandestina ocorrida no Planalto: “agilizar”a auditoria em curso nas empresas da família do ex-presidente José Sarney.

Em linguagem de gente, deveria encerrar o quanto antes as investigações, engavetar a encrenca e deixar em paz os poderosos pilantras. Dilma poderia alegar que não dissera o que disse. Como serial killers da verdade primeiro mentem para só depois pensarem em álibis menos mambembes, resolveu afirmar que a conversa nunca existiu.

  (Ref. Wikipedia)

(Erenice Guerra, acusada de tráfico de influência)

Lina pulverizou a opção pelo cinismo com uma saraivada de minúcias contundentes. Contou que o convite para a reunião foi feito pessoalmente por Erenice Guerra, braço-direito, melhor amiga de Dilma e gatuna ainda sem ficha policial. Como confirmou Iraneth Weiler, chefe de gabinete da secretária da Receita, Erenice apareceu por lá para combinar a data e o horário da reunião. Também queria deixar claro que, por ser sigiloso, o encontro não deveria constar das agendas oficiais. ” Em depoimento no Senado, descreveu a cena do crime, detalhou o figurino usado pela protetora da Famiglia Sarney e reproduziu o diálogo constrangedor.

 

“Foi uma conversa muito rápida, não durou dez minutos”, resumiu. “Falamos sobre algumas amenidades e, então, Dilma me perguntou se eu podia agilizar a fiscalização do filho de Sarney”. No fecho do depoimento, repetiu a frase com que o abrira: “A mentira não faz parte da minha biografia”. As informações que fornecera permitiriam a qualquer investigador de chanchada esclarecer a delinquência em poucas horas. Mas Franklin Martins, ministro da Propaganda de Lula, achou pouco. “O ônus da prova cabe ao acusador”, declamou. “Cadê as provas?”.

 

Estão no Palácio do Planalto, reiterou Lina. Como dissera durante a inquisição dos senadores, ela chegou sozinha para o encontro noturno, teve a placa do carro anotada ao entrar pela garagem, passou pelo detector de metais, deixou o nome na portaria, subiu pelo elevador, esperou na sala ao lado de duas pessoas e caminhou pelo andar. “É só requisitar as filmagens”, sugeriu. “Não sou invisível. Não sou fantasma”. Logo se soube que, no sistema de segurança instalado no coração do poder, todo mundo virava fantasma um mês depois de capturada por alguma câmera. Numa espantosa nota oficial, o bando fantasiado de governo confessou que as imagens eram guardadas por 31 dias.

 

Haviam sido destruídas, portanto, as cenas do entra-e-sai de outubro e novembro de 2008, entre as quais as que documentaram as andanças de Lina Vieira.

 

E os registros na garagem? Esses nunca existiram. Como o serviço de segurança à brasileira confia na palavra dos visitantes, tanto as placas dos carros oficiais quanto a identidade de quem zanza por ali não são registradas em papéis ou computadores. O porteiro limita-se a perguntar ao motorista se há uma autoridade a bordo. Assim, o governo não tinha como atender às interpelações de parlamentares oposicionistas.

 

Conversa de 171. Acobertados pela mentira, os sherloques a serviço da bandidagem destruíram as gravações.

A ex-presidente fantasiada de mulher honrada enquadrou-se, sempre em parceria com Lula, nos crimes de ocultação de provas e obstrução da Justiça. As câmeras foram escondidas em lugar incerto e não sabido. Nunca mais deram as caras no palácio. Nos sete anos seguintes, os quadrilheiros com direito a foro privilegiado agiram com a desenvoltura de quem se livrara até daquele simulacro de esquema de vigilância. Deu no que deu.

VOCÊ TEM GATO ? DOENÇA DE GATO PODE PASSAR PARA HUMANOS…..

A MATÉRIA FOI PUBLICADA NO JORNAL “O DESTAQUE BAIXADA”….Quem remeteu foi minha sobrinha TOSCA (médica veterinaria)…..Vejam os cuidados para curar esta doença que ataca os gatos e as pessoas que se relacionam com os gatos…….

 

Esporotricose: Doença transmitida por gatos volta a se espalhar na Baixada Fluminense

Causada pelo fungo Sporothrix schenckii, a esporotricose é uma micose que pode afetar animais e humanos. Desde o final da década de 1990, no Estado do Rio de Janeiro, tem sido grande a ocorrência da doença em animais, especialmente em gatos. A Baixada Fluminense não ficou de fora sobre o possível surto da doença.

Há tratamento para a micose, e o diagnóstico dos animais já pode ser feito na maioria das clínicas veterinárias. Por isso, não abandone, maltrate ou sacrifique o animal com suspeita da doença. Procure o tratamento adequado e se informe sobre os cuidados que deve ter para cuidar de seu animal sem colocar em risco a própria saúde. São essas algumas das orientações dos veterinários que estudam o agravo.

   (do site , “saúde curiosa”)

Já na pele humana, a esporotricose se manifesta na forma de lesões como um pequeno caroço vermelho, que em seguida vira uma ferida, segundo a Fiocruz. As áreas mais afetadas são rosto, braços e pernas. Os caroços vão se aglomerando e formando pequenas fileiras. Algumas pessoas relatam sentir dores nas articulações, além de febre.

(do site “saúde curiosa”).

A esporotricose não é contagiosa, logo não há transmissão entre pessoas.

 

Para qual órgão devo comunicar que existem casos de esporotricose na região onde moro?

 

Ao Centro de Controle de Zoonoses do seu município. No Rio de Janeiro, o telefone é (21) 3395-1595. Caso não exista um setor como esse no seu município, sugerimos que comunique o caso à Secretaria de Saúde, pois é uma doença que pode contaminar os seres humanos.

 

Outro contato pode ser feito com a Vigilância Sanitária do Rio de Janeiro, pelo telefone 1746 ou no site www.1746.rio.gov.br/.

 

Para esclarecer sobre a doença, o JORNAL DESTAQUE BAIXADA conversou com a médica veterinária Carla Souza, que atende na Rações São Bernardo, que falou sobre sintomas, contágio, como identificar, e o tratamento adequado da esporotricose. Leia:

 

Jornal Destaque Baixada: Quais são os principais sinais clínicos e sintomas da esporotricose?

 

Os primeiros sintomas da doença consistem em lesões que se manifestam na pele do animal principalmente na região da cabeça e nas extremidades, locais onde os ferimentos de transmissão do fungo são mais comuns. Inicialmente aparecem como uma simples ferida inflamada que se transforma em uma lesão cheia de pus. Essas não cicatrizam e costumam evoluir rapidamente. Quando não tratadas podem progredir afetando o sistema linfático do animal e até mesmo infectar de maneira generalizada o seu organismo (pulmão, ossos, sistema nervoso, mucosas, etc.).

 

Na maioria dos casos, as feridas causadas pela doença não causam dor ou coceira de nenhum tipo nos animais afetados. Entretanto, nos casos mais graves é possível notar uma série de outros sintomas além das lesões na pele, como febre, apatia e perda de apetite. Ainda em quadros mais graves, pode haver a ocorrência de tosse com catarro, espirros, fadiga extrema, dificuldade em respirar e até a saída de sangue pelas vias respiratórias do animal.

 

Jornal Destaque Baixada: A esporotricose atinge quais animais? Como é o contágio?

 

A esporotricose é uma zoonose que tem o fungo Sporotrix schenckii como agente causador. Presente na natureza, este fungo específico pode ser encontrado nos mais diversos lugares, como na terra, em jardins, matas e locais de pouca higiene, como lixões.

 

Nos animais, a esporotricose já foi relacionada a arranhaduras ou mordeduras de cães, ratos e outros pequenos animais, porém os gatos são os principais animais afetados e podem transmitir a doença para os seres humanos.

 

O contágio ocorre quando há contato do fungo com a pele lesionada tanto em animais quanto em seres humanos. Em seres humanos isto pode ocorrer com aqueles que trabalham em contato direto com vegetais, terra e flores, como floricultores, jardineiros, trabalhadores rurais e mineiros, por exemplo, infectando-os com o fungo por meio de feridas em espinhos, do contato de uma pequena lesão pré-existente com algum tipo de matéria contaminada, ou através de arranhões e mordida de animais contaminados.

 

Jornal Destaque Baixada: Como é possível identificar a esporotricose em humanos?

 

A doença se manifesta na forma de lesões na pele, que se inicia com um pequeno caroço vermelho, podendo evoluir para uma ferida nos braços, pernas ou no rosto. O ideal é procurar um dermatologista para obter um diagnóstico adequado.

 

Jornal Destaque Baixada: Os gatos podem transmitir esporotricose para os humanos?

 

Sim, por meio do contato de animais doentes com lesões pré-existentes ou arranhões e mordidas de animais que tenham tido contato com o fungo. Neste último caso, o animal, ao entrar em contato com o fungo, pode acumulá-lo nas unhas e representar risco para as pessoas ao seu redor, pois qualquer arranhão pode levar à contaminação e possível infecção, mesmo que este gato não apresente a doença. É importante que o diagnóstico seja feito rapidamente e que o animal doente receba o tratamento adequado. Procure sempre um médico veterinário para receber orientações sobre como cuidar de seu pet sem correr o risco de ser também contaminado.

 

Jornal Destaque Baixada: Como evitar o contágio dos gatos para as pessoas?

 

Uma boa higienização do ambiente pode ajudar a reduzir a quantidade de fungos dispersos e, assim, novas contaminações. Deve-se também evitar o contato dos gatos em áreas potencialmente contaminadas, mantendo-os sempre com a higiene em dia e lavar bem as mãos após manuseá-los. Outro ponto importante é manter as unhas aparadas ou protegê-las com Soft Claws, cápsulas vinílicas atóxicas especialmente desenvolvidas para envolver as unhas de cães e gatos proporcionando a proteção mecânica, impedindo a ocorrência de arranhões, e permitindo a manutenção dos movimentos normais dos dedos e das patas.

 

É sempre importante também a consulta periódica ao veterinário, que irá avaliar a saúde e solicitar exames a fim de encontrar possíveis agentes infecciosos zoonóticos.


Jornal Destaque Baixada
: É possível que um gato doente contamine outros animais que convivem no mesmo ambiente, como uma casa, quintal ou apartamento? O que fazer após a morte do animal?

Sim. Como as brigas entre cães ou gatos não são incomuns, basta que um dos animais envolvidos tenha tido contato com o fungo para passá-lo para o outro animal sadio – já que esse material contaminado pode ficar alojado debaixo das suas unhas, por exemplo, sendo transportado para o pet sadio que toma uma arranhada do animal transmissor. Por isso, é aconselhável isolar o gato do contato com outros animais, separando-o num ambiente próprio, para que receba os cuidados de que necessita sem comprometer a saúde dos outros bichos da casa.

Em caso de morte dos animais doentes, não se deve enterrar os corpos, e sim incinerá-los, para evitar que o fungo se espalhe pelo solo e a possibilidade de contágio por outros animais.

Jornal Destaque Baixada: Qual o tratamento indicado para gatos? E para humanos?

Nos gatos, em casos em que a infecção ainda é relativamente recente, o tratamento da doença pode ser eficaz, embora seja lento. Na maioria das vezes, antifúngicos são os medicamentos usados para curar a esporotricose, sendo administrados de forma oral ou injetável, além de suplementos e vitaminas que também podem ser receitados em conjunto, dependendo do caso. Porém, embora haja uma série de produtos no mercado que são bastante eficazes no tratamento da esporotricose, essa doença pode ser fatal nos casos em que já está bastante avançado, por isso é muito importante a visita à clínica veterinária periodicamente e, principalmente, quando seu pet apresentar alterações comportamentais e/ou físicas.

Em humanos o ideal é consultar um médico especialista para receber as orientações necessárias de tratamento.

Jornal Destaque Baixada: Há registro do número de pessoas que já tiveram a doença no Rio/Brasil?

Um estudo realizado na por pesquisadores da Fiocruz apontaram um total de 1.848 casos diagnosticados na região do Rio de Janeiro entre 1997 e 2007, sendo 1.289 destes sido registrados nos últimos quatro anos de análise (69,7%). Uma atualização de dados referente ao período entre 2008 e 2011 indicou ainda o registro de 2.340 novos casos de esporotricose, um aumento de 126,6% na incidência da enfermidade, em comparação aos 11 anos anteriores. Esse alerta para o crescimento excessivo de casos de esporotricose humana demonstra a importância dos cuidados e prevenção para essa doença.

O Protetor dos animais da Baixada Fluminense, o Wilson Will Martins acrescenta ainda mais ao falar da doença. Não machuque nenhum animal, muito menos um gato, a doença tem cura, basta procurar um veterinário perto de sua casa.

Por: redação/ Jornal Destaque Baixada

20/01/2017